No dia 15 de junho, o SindRio que é a principal entidade representativa do Município do Rio de Janeiro e, segundo dados oficiais do governo, o setor possui cerca de 11.500 (onze mil) empresas no Município do Rio de Janeiro e se destaca pelo importante volume de cerca de 100.000 (cem mil) empregos diretos gerados clamou às autoridades pela reabertura de bares e restaurantes.

 

Junto à Associação Brasileira de Restaurantes – ANR, foram enviados ofícios à Prefeitura do Rio de Janeiro, Câmara dos Vereadores e Vigilância Sanitária, com propostas de adoção do protocolo de reabertura criado pelas duas instituições, cujas medidas estão embasadas de modo a garantir a segurança dos colaboradores e dos consumidores, bem como são economicamente viáveis.

 

Por outro lado, na remota hipótese de não ser adotado tal protocolo, é de se destacar que nos inúmeros encontros e eventos virtuais promovidos com a Vigilância Sanitária, seus representantes já se comprometeram a alterar a resolução publicada, a qual se requer seja retificada com máxima urgência nos seguintes pontos:

 

1) face shield e cloche – não há necessidade de obrigatoriedade, mas sim recomendação para utilização;

2) deixar claro que grupos, famílias e mesas coletivas são possíveis, sem afastamento de 2m;

3) como o que se busca é o distanciamento dos grupos, deixar claro que a única limitação de capacidade seja 1 metro entre mesas, retirando exigência de capacidade por metragem quadrada ou qualquer outra;

4) permitir, alternativamente ao distanciamento entre mesas, separação em acrílico;

5) postergação do pagamento da taxa anual de licenciamento sanitário e isenção proporcional ao tempo da pandemia;

6) self-service: permitir alternativamente, a escolha do restaurante, ter funcionário servindo ou fila com 1 metro de distância e luvas plásticas descartáveis

 

Acesse os protocolo e os oficios:

ProtocolodeBoasPraticas_ANR -SINDRIO

Oficio Prefeito – reabertura

Oficio Camara Vereadores – reabertura e protocolo

Oficio Vigilancia – reabertura