O SindRio lançou uma campanha com apelo ao Governo Federal contra falências. Até o momento, cerca de 27.500 pessoas do setor – que emprega indiretamente 500 mil cariocas – já perderam seus empregos no Rio de Janeiro.

O SindRio estima que um em cada três estabelecimetnos devem fechar se não houver um apoio efeitvo do Governo. Com as portas fechadas desde o início da pandemia do Coronavírus, em meados de março, os bares e restaurantes cariocas estão em uma situação dramática.

Até o momento não houve ajuda governamental efetiva para os estabelecimentos, que não têm capital de giro para se manterem sem funcionar, muito menos condições de reabastecer suas cozinhas e estoques para uma reabertura. .

Além disso, apenas 50% dos estabelecimentos possui o serviço de delivery. Mas a receita com as entregas representa só 25% do faturamento necessário. Fora as altíssimas taxas que os aplicativos cobram, que chegam a 25% do valor da conta.

O resultado é uma sucessão de notícias tristes a cada semana: mais de mil estabelecimentos cariocas já anunciaram que não irão reabrir. E, se a situação continuar como está, sem auxílio governamental, a previsão do SindRio é de que um terço dos bares e restaurantes do Rio fechem definitivamente suas portas até o final do ano.

Diversos bares e restaurantes, além de apoiadores, têm compartilhado o material oficial da campanha nas redes sociais. O alcance foi tão significativo que a campanha chegou até a rede nacional de televisão.

Clique aqui e confira a companha noticiada pelo Jornal Nacional nesta quarta-feira (24).