Publicado em: 11/07/2019

O projeto “Alimentando Cidadãos do Futuro”, criado em 2017, surgiu com o objetivo de produzir alimentos orgânicos para abastecer parcialmente a cantina da escola Lycée francês, aproximar crianças da natureza e ao mesmo tempo incluir os estudantes no processo. A ideia partiu do chef francês Frédéric Monnier, concessionário da cantina escolar, e foi conduzido pelo SEBRAE, que entrou como parceiro da agricultura orgânica familiar de produtores do estado do Rio.

Além do seu trabalho como empresário e chef, Monnier é chef embaixador do Senac desde 2011 e possui um bistrô em parceria com a Aliança Francesa dentro da escola de Botafogo. Foi do francês, também, a ideia de trazer o SEBRAE para atuar como consultor na implementação do projeto, devido a sua experiência em iniciativas semelhantes.

Há dois anos projeto de implantação da horta pedagógica colhe frutos passando a ser referência na cidade. Além de envolver os estudantes, a iniciativa permite que os alunos coloquem em prática os ensinamentos da sala de aula e se tornem conscientes sobre a importância da alimentação saudável e o respeito ao meio ambiente. Além disso, o projeto ajuda a estreitar as relações com os pais e a comunidade vizinha através de oficinas e palestras de conscientização e replicação de conhecimentos ambientais.

Já foram colhidas 150 caixas de hortaliças, totalizando 4000 unidades. Na colheita além das hortaliças cultivadas, também são recolhidas flores comestíveis e as PANCs – Plantas Alimentícias Não Convencionais – que são as ervas espontâneas, nativas e que afloram pelo terreno, como o Caruru, Azedinha, Taioba e Beldroega. Elas são ricas em nutrientes e usadas em restaurantes de alta gastronomia, como o chef uruguaio Esteban Mateo do Térèze, a chef Teresa Corção no Navegador e o chef Ivan Ralston no Tuju, entre outros.

Desde junho de 2018 a escola compra alimentos orgânicos dos produtores orgânicos do projeto PAIS – Produção Agroecológica Integrada e sustentável – do SEBRAE.  Em média são consumidos mensalmente 1,5 toneladas de legumes e hortaliças orgânicas pelas crianças na cantina da escola graças a essa parceria.

Além de produzir alimentos, o projeto também se preocupa em fazer um ciclo completo de aproveitamento. Na horta os resíduos orgânicos vegetais provenientes das sobras das refeições e da limpeza dos alimentos são neutralizados pelo processo de compostagem, produzindo adubo orgânico para ser utilizado na própria horta. Já os copos plásticos utilizados nas sobremesas são reaproveitados para produção de mudas feitas pelas próprias crianças, plantadas na horta e doadas em oficinas com os pais e com a comunidade.

Mais informações acesse o site.