Publicado em: 12/06/2019

O Sindicado de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio) recebeu, nesta terça-feira (11), a oficina culinária do chef Ricardo Lapeyre como parte da programação do projeto Gosto da Amazônia. O chef do restaurante Laguiole foi o quarto convidado do evento e preparou o peixe com uma mistura bem oriental. Mais quatro chefs ainda vão participar, num total de oito chefs, das oficinas culinárias realizadas na Instituição até o dia 25 de junho.

Lapeyre reparou o Pirarucu black cod com castanha do pará e acompanhado de purê de couve-flor. O chef do @laguiole_lab marinou o peixe com açúcar, saquê salgado e doce e missô em pasta – que o deixou crocante. E o purê do acompanhamento ele relembrou de quando foi estagiário no restaurante da chef Flávia Quaresma. O aproveitamento da culinária nipônica unida à brasileira mostra as diversas possibilidades de preparo do pirarucu de manejo em terras cariocas.

A Ecochef Teresa Corção, presidente do Instituto Maniva e uma das responsáveis pelo Projeto Gosto da Amazônia no Rio de Janeiro, falou da importância do incentivo da ação: “Comendo o pirarucu estamos mantendo várias espécies“, concluiu.

É uma questão de consciência nossa, hoje contribuo cozinhando e me disponho com a causa” – enfatizou o chef Ricardo Lapeyre. 

Desenvolvido a partir da necessidade de conquistar novos mercados e um número maior de consumidores para o produto, o Gosto da Amazônia é fruto de uma parceria entre as instituições responsáveis pelo manejo do pirarucu, o Instituto Maniva, cuja missão é promover a melhoria da qualidade alimentar da sociedade, valorizando o modelo de produção familiar e sustentável, e o Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio (SindRio), que representa institucionalmente mais de 11.000 estabelecimentos na cidade e está sempre em busca de novidades e melhorias para o setor.

O evento foi comemorado pela coach de carreira, Bianca Roxo: “Vai trazer para o Rio de Janeiro uma valorização de pratos diferentes pois ficamos muito só na carne. Além disso toda essa questão de sustentabilidade é importante. Não só por experimentar o pirarucu mas saber da história da pesca sustentável, o manejo“, celebra.

Na primeira etapa do projeto, 16 chefs da cidade testaram e aprovaram o pirarucu de manejo, e após a realização das oficinas no SindRio estão previstas mais três inciativas para estimular o consumo do produto no Rio: nove chefs viajarão para a Amazônia e conhecerão de perto a pesca do pirarucu e seus impactos sociais e econômicos nas comunidades que participam do manejo; em agosto, um quiosque especializado em receitas de pirarucu de manejo e uma barraca na feira de produtores com produtos amazônicos marcarão presença dentro do maior evento de Gastronomia do país, o Rio Gastronomia; e de 20 de setembro a 06 de outubro será realizado o Festival Gosto da Amazônia no CADEG, com restaurantes servindo pratos especiais preparados com pirarucu e lojas do mercado vendendo produtos da Amazônia.