Publicado em: 14/06/2019

Iniciado em maio, o projeto “Gosto da Amazônia – sabor que preserva a floresta” já colhe frutos: acaba de chegar ao Rio de Janeiro a primeira remessa de pirarucu selvagem, manejado no Amazonas. São quatro toneladas adquiridas diretamente da Asproc, Associação de Produtores de Carauari, que já estão sendo comercializadas na capital carioca pela distribuidora Só Peixe.

A iniciativa surgiu a partir da cooperação internacional entre o governo do Brasil e EUA, executada pelo Instituo Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e Serviço Florestal dos EUA (USFS), com recursos da Agência para o Desenvolvimento Internacional dos EUA (USAID), e apoio da Cooperação Alemã para o Desenvolvimento Sustentável (DIZ). O projeto é realizado em parceria local com o Instituto Maniva e o Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SINDRIO).

A venda abre o mercado do Rio de Janeiro para o pirarucu selvagem e representa um modelo bem-sucedido de conservação da espécie e de seu habitat natural, com geração de oportunidades sociais, econômicas e culturais para as comunidades envolvidas na atividade. Desenvolvido a partir da necessidade de se conquistar novos mercados e um número maior de consumidores, o Gosto da Amazônia teve início com uma ação onde 15 chefs da cidade testaram e aprovaram o pirarucu de manejo criando receitas. No momento, a segunda etapa do projeto conta com oficinas culinárias realizadas no SindRio. Nesse período, os chefs Nao Hara, Roberta Sudbrack, Natacha Fink e Ricardo Lapeyre participaram das oficinas abertas ao público. A programação segue até dia 25 de junho com a participação dos chefs Andressa Cabral, Frédéric Monnier, Teresa Corção e Roland Villard.

Após as oficinas, nove chefs viajarão para a Amazônia e conhecerão de perto a pesca do pirarucu e seus impactos sociais e econômicos nas comunidades que participam do manejo. Em agosto, um quiosque especializado em receitas de pirarucu selvagem e uma barraca na feira de produtores com produtos amazônicos marcarão presença dentro do maior evento de Gastronomia do país, o Rio Gastronomia. Já de 20 de setembro a 06 de outubro será realizado o Festival Gosto da Amazônia no CADEG, com restaurantes servindo pratos especiais preparados com pirarucu e lojas do mercado vendendo produtos da Amazônia.

O pirarucu é o maior peixe de escamas de água doce do mundo e se encontra principalmente na bacia Amazônica, podendo atingir até três metros de comprimento e 200kg de peso. Com uma inquestionável importância cultural, social e econômica para os povos indígenas e comunidades tradicionais da região, o manejo do pirarucu começou a ser implementado em 1999, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá, e hoje está presente em 34 áreas protegidas e/ou com Acordos de Pesca devidamente autorizados pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

#gostodaamazonia  #pirarucusoseforlegal #pirarucudemanejo #sindrio #ecochefs #institutomaniva