Postado em: 26/04/2019

Com o objetivo de avaliar o potencial do produto na cozinha, um time de renomados chefs da cidade foi convidado a participar da primeira etapa do PROJETO GOSTO DA AMAZÔNIA, chamada sensibilização inicial, para criar receitas e analisar diferentes formas de preparo do pirarucu de manejo.

Contribuir para a melhoria de qualidade de vida das comunidades envolvidas no manejo do pirarucu é o principal objetivo do projeto, que está previsto para acontecer em cinco diferentes etapas.

Clique aqui e saiba mais sobre o projeto.


 

O chef Nao Hara, que comanda o Japa B, revelou mais uma vez toda a sua originalidade na cozinha ao preparar esse belo ceviche com o pirarucu de manejo.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀


 

O chef francês Damien Montecer nos presenteia com essa receita ousada e sofisticada de caviar de quiabo feito com pirarucu assado na taioba, banana da terra, açaí em pó e aipim rosa.


 

A chef carioca Andressa Cabral criou o incrível pirarucu na manteiga com arroz jollof de coco.


 

Ana Pedrosa, ecochef do Instituto Maniva, criou o pirarucu no papillote com legumes.


 

Natacha Fink trabalhou brilhantemente com o pirarucu de manejo, utilizando técnicas da cozinha internacional ao criar o pirarucu galante.


 

Frédéric Monnier batizou a sua criação com o nome de “Texture de Pirarucu e a Flora Brasileira”.


 

O chef Marcello Barcellos do Restaurante Barsa, apostou na criação do pirarucu à lagareiro com arroz marroquino e banana da terra assada.


 

O chef francês, Claude Troisgros, um dos grandes nomes da gastronomia internacional, elaborou o pirarucu na folha de bananeira.


 

As Ecochefs do Instituto Maniva, Ana Pedrosa, Teresa Corção e Ana Ribeiro, utilizaram conhecimentos específicos e diversas técnicas na criação das suas receitas. 


Clique aqui e saiba mais sobre o projeto.