Publicado em: 20/07/2018

“Para chegar aonde queremos” por Fernando Blower, presidente do SindRio.

Bares e restaurantes: “Em 2017, o segmento no Rio movimentou R$ 8,5 bilhões, mesmo com todos os percalços e problemas.”

Artigo: Fernando Blower

Crise econômica, impostos altos, desemprego. Não é de hoje que o SindRio chama a atenção para problemas que afetam a população, o turismo e o segmento de alimentação.

Os assuntos não são novos, mas persistem e nos incomodam bastante, já que a cidade tem um potencial enorme.

Há áreas que fortalecem a imagem turística do Rio e os bares e os restaurantes espalhados pelo município estão entre elas. E não é apenas no turismo. O setor é fundamental para a economia da cidade.

Em 2017, o segmento no Rio movimentou R$ 8,5 bilhões, mesmo com todos os percalços e problemas que vêm enfrentando ao longo dos últimos anos. Não é fácil chegar à casa dos bilhões em meio a um cenário econômico que não é bom e sem receber incentivos.

Não foram todos os setores que conseguiram ter resultados semelhantes. Isso prova a força do nosso segmento. De botequins a restaurantes refinados – todos já fazem parte da cultura da cidade. Investir na existência deles deveria estar entre as prioridades.

No ramo fiscal, por exemplo, grandes estabelecimentos – as empresas de Lucro Presumido – lutam para reduzir o ICMS, que está em 12%. Já em outros estados a taxa é de até 3,5%. O alto custo impacta diretamente na receita e é um dos fatores que faz com que muitas casas tenham dificuldades para fechar o mês no azul.

Pequenos, médios e micro estabelecimentos são afetados de outras formas. E tudo isso impacta, sim, na empregabilidade. Demitir pessoal é o que nenhum empresário quer, porém muitas vezes não há saída.

Entre janeiro de 2017 e abril de 2018, o total de empregos com carteira assinada gerados em bares e restaurantes na cidade diminuiu em 1.463 vagas. O desemprego traz consequências diretas na economia, reduzindo sobretudo o consumo de forma geral.

Mas observamos um dado curioso: no mesmo período, para micro negócios, de até nove empregados, houve saldo positivo de 7.243 postos. Esse crescimento trouxe mais uma pontinha de esperança.

Ainda sobre empregabilidade, o cenário pode ser duro, mas para nós está muito claro que quem se qualifica pode sair na frente. Para se fortalecer no mercado de trabalho, é preciso investir em si e no próprio negócio.

O SindRio vem se dedicando na reformulação da sua grade de cursos para se adaptar à nova realidade. O Programa de Gestão e Carreira é o resultado disso. É muito importante que a cidade tenha projetos nessa linha, que capacitem, qualifiquem e especializem mais ainda nosso setor.

Sabemos que há pontos negativos, mas temos a certeza da força do segmento de bares e restaurantes para a cidade e do potencial do Rio para o turismo. O município também tem condições para ter uma economia mais sólida. Querer é o primeiro passo.

De nossa parte, continuaremos a lutar pelo nosso setor, por melhorias e por boas notícias. Do que foge a nossa alçada, é nosso dever sinalizar e cobrar soluções. Unir forças é um caminho para chegar aonde queremos.

Clique aqui para ler na íntegra.

Mais informações: Jurídico SindRio 21 3231-6651